Minhas indicações de Conhecimento – 2019

compartilhe nas suas redes:
Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Email

(4 minutos ) Chatice de reforma, dádiva de um segundo filho chegando e a intrigante gratificação de ter trabalhos pelo TCU tão monumentais quanto desconhecidos, acabaram me conduzindo a bem menos livros, mas não menos experiência…

Feita essa abertura esfarrapada, considero úteis as seguintes fontes, que trazem ensinamentos na Filosofia, Direito, Engenharia, Política, Sociologia, Ciência de Dados e Espiritualidade.

1. Em Busca de Sentido (Viktor Frankl) – Livro singular. Na primeira parte, o autor descreve com uma clareza surpreendente como fazia pra sobreviver mentalmente – já que fisicamente não dependia só dele – a realidade dos campos de concentração nazistas. Na segunda parte, uma explicação didática sobre o ramo da psicologia chamado logoterapia, mote da vida profissional do autor. Na última parte, a transcrição de um discurso primoroso em que se explica de forma bem fundamentada que o certo não é viver pra ser feliz, mas sim, encontrar uma razão para ser feliz.

2. Corrupção da inteligência (Flávio Gordon) – O antropólogo e gordinho até no nome montou uma obra monumental que é verdadeira pancadaria nos intelectuais de esquerda. Destaque para as inúmeras notas de rodapé que empilham fatos sobre fatos, além de abordar o estudo aprofundado de autores de todo o espectro (de Gramsci a Olavo de Carvalho, de Marilena Chauí a Eric Voegelin).

3. Why? What make us curious? (Mario Livo) – Um desses livros diferentes. Um astrofísico transformou um hobby de pesquisa em um livro repleto de informações úteis. De um paralelo entre Richard Feynman e Leonardo Da Vinci, passando por mentes super curiosas da atualidade, indo até uma dissecação na área da ciência sociais e neurológicas. Tudo isso porque o autor estava curioso com o assunto.

4. Mindware – Ferramentas para um pensamento mais eficaz (Richard Nisbett) – Tinha que ser leitura obrigatória. De um adolescente metido a oráculo até um senil cheio de histórias de vida. O objetivo do livro é nos mostrar como somos displicentes com nossa real ignorância. Mais que isso, municiar-nos com técnicas para mitigar esse efeito de constrangimento perante a verdade científica.

5. Capture – (David Kessler) – O medo cria aquilo que teme. Já diria um pensador aí que eu esqueci o nome. Indo no embalo da medicina, o autor tentar explicar os processos de aprisionamento mental a que os humanos estão sujeitos

6. 108 contos e parábolas orientais (Monja Coen) -Muito bom para palestrantes e para os que os ouvindo, pretendam aplicar alguma coisa. Destaque para os contos da primeira metade do livro.

7. Análise Econômica do Processo Civil – (Erik Wolkart)- Vi uma obra de um entusiasta do conhecimento, que aproveitou muito bem vários ramos do saber para resgatar o Direito de uma ineficiência embaraçosa. Trata-se de um livro intenso, que abre com um pé de cabra a mentalidade dos aplicadores do Direito.

8. 10 contos polêmicos no combate à corrupção (Rafael Martins) – É gratificante poder se escolher. Afinal, sigo me divertindo com os esforços interpretativos dos mais curiosos que se debruçam sobre esse título, que inaugurou o estilo “Ficção Legal à brasileira”

9. O Livro dos Médiuns – Allan Kardec – Releitura dessa obra que mostra como poucas a clareza de raciocínio do pedagogo francês.

10. Skin in the game – Taleb – Depois do ápice autoral trazido com o livro Antifragilidade, o autor e twitter-fighter Nassim Taleb traz uma heurística tão simples quanto convincente para explicar o porquê de tantas coisas darem errado nesse mundão de Meu Deus.

11. Misbehaving – Richard Thaler – Um dos caras que mais tomou porrada intelectual do libanês acima foi o Nobel Richard Thaler, autor desse livro que conta de uma forma leve o nascedouro e florescimento do ramo da Economia Comportamental.

12. História Bizarra da Literatura Brasileira – Marcel Verrumo – Excelente para que o jovem saiba o quão louco são os autores brasileiros mais badalados numa época em que se acha tudo muito chato. É surpreendente como nenhum dos autores analisados teve uma vida previsível ou monótona.

13. Belchior: Apenas um rapaz latino americano – Jotabé Medeiros – História de Belchior. Um notável da cultura brasileira. Livro pra ler, reler e depois de estudar as composições do bigodudo, ler de novo.

14. Perspicácia – Aprenda a pensar como Sherlock Holmes – Maria Konnikova – Uma aplicação prática e didática dos nossos dois modos de pensar. A versão rápida estaria a cargo do Dr. Watson, enquanto que o pensamento devagar e elaborado seria protagonizado pelo detetive mais famoso de todos os tempos. É elementar que garimpar Sherlock Holmes segundo a teoria que deu o Nobel de 2002 a Daniel Kanheman seria valioso.

Agora os PODCASTS:

1. Scicast – batidão de ciência com leveza, humor e técnica. Pra que mais?

2. Data Hackers – ótimo para quem é um entusiasta da área, mesmo sem ser um especialista.

3. Horizonte Espírita – primeira e única iniciativa do gênero que vi e testei no Movimento Espírita. Vai ganhando de WO, mas com sobras…

4. Realidades Paralelas do Guaxinim – Ouvir RPG iluminou áreas da minha cabeça que só tinha matagal de tão abandonado. Um bom exercício pra atenção e criatividade.

Por fim, melhores cursos que fiz:

1. Escrita Criativa e Storytelling – Dimitri Vieira – talvez por ser engenheiro, apreciei a objetividade com que o conteúdo foi exposto. Dicas expostas com fundamentação, simplicidade e honestidade de alguém que ensina postando-se como constante aprendiz

2. Peritos Judiciais com Sergio Abunahman – Apesar de muito lento e com muita linguiça, trata-se de material primoroso. Basta acelerar os vídeos e degustar o filé mignon, que cobre o investimento com folga.

No mais, sigo organizando esse apetite por saber, por aplicar com os aplicativos Trello, Forest, Pocket e Strava.

Rafael Martins é auditor no TCU, premiado por trabalhos inovadores no combate à corrupção.

É autor do livro “10 contos polêmicos no combate à corrupção“.

—-.

More to explorer

Duas pedrinhas e o Covid

(Rafael Martins – 3 minutos) Há cenários que eu dificilmente imaginaria que me trariam por aqui. E isso, por um lado, é

Curiosidade com Torcicolo

(6 minutos – Rafael Martins) A conversa ia solta e fluida, como devem ser os encontros de quaisquer amigos que se veem

O Amor dá Sinal

(3 minutos – Rafael Martins) Adoro trabalhar com jovens [0], ainda mais quando diante de ocasiões que envolvam a Doutrina Espírita. As

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *